Header Image - Cannyon is a clean WordPress theme

Quando é preciso tirar a segunda via do RG?

tirar-segunda-via-rg-poupatempo

A Carteira de Identidade ou Registro Geral (RG) é um documento oficial de identificação que todo cidadão nascido e registrado no Brasil precisa ter. Ela tem o objetivo de identificar a população garantindo sua individualidade.

O documento tem validade em todo o território nacional e ainda fora do Brasil. Em alguns países pertencentes ao Mercosul, é possível que você viaje portando apenas o seu RG, sem a necessidade de apresentar um passaporte.

Situações em que o cidadão deve tirar a segunda via do RG

O cidadão poderá solicitar junto a um posto de identificação a emissão da segunda via rg poupatempo nos seguintes casos:

  • Perda;
  • Extravio;
  • Furto;
  • Roubo;
  • Atualização da foto ou do nome do portador (alteração do nome civil após casamento ou divórcio/separação);
  • Cédula danificada ou em mau estado.

Em alguns casos específicos e mediante comprovação, é possível fazer a solicitação de uma segunda via do RG sem que precise pagar a taxa de emissão, tais como:

  • Furto;
  • Roubo;
  • Pobres perante a lei;
  • Desempregados há mais de 3 meses;
  • Homens acima de 65 anos;
  • Mulheres acima de 60 anos;
  • Cidadãos que possuem erro de digitação no documento.

Documentos para solicitar a segunda via do RG

Para solicitação da 2º via da Carteira do RG deverá obrigatoriamente ser apresentada a Certidão original ou fotocópia autenticada conforme as situações abaixo:

  • Menor de 16 anos – Certidão de Nascimento, documento de identidade original do responsável que esteja acompanhando o menor;
  • Brasileiros solteiros – Certidão de Nascimento;
  • Brasileiros casados – Certidão de Casamento;
  • Brasileiros naturalizados – Certificado de Naturalização;
  • Portugueses com igualdade de direitos e obrigações civis – Cópia do Diário Oficial da união com a publicação da Portaria e Original da Certidão de Trâmite Processual.

– Boletim de Ocorrência original ou cópia simples em casos de furto ou roubo, para isentar o pagamento de taxa;

–  Os pobres perante a lei, deverão apresentar o termo de pobreza assinado;

– Os desempregados há mais de 3 meses sem registro deverão levar a carteira de trabalho original;

– Homens e mulheres com mais de 65 e 60 anos, devem apresentar sua condição através da certidão de nascimento;

– Cidadãos que possuem erro de digitação, deverão se apresentar no prazo de até 90 dias após a emissão do documento com erro.

Quanto custa emitir uma segunda do RG?

Para solicitar a segunda via é necessário que o requerente recolha uma taxa na rede bancária. Essa taxa varia de acordo com a lei de cada Estado. Informe-se.

Como sair da rotina e esquentar seu relacionamento

apimentar-relacionamentoSe você já teve algum relacionamento durante sua vida sabe que no começo tudo são flores. No início do namoro existe uma paixão que não termina nunca mais, certo? Você mal se encontra com seu parceiro e logo estão na cama, tudo é levado pelo desejo e tesão. Porém o tempo vai passando e a relação vai esfriando. Procura lugares onde comprar maca peruana.

Principalmente após o casamento as relações tendem a entrar em um clima de companheirismo e parceria e o sexo acaba ficando sempre para depois. O desejo vai se apagando e alguns relacionamentos acabam entrando na rotina. O sexo passa acontecer somente em datas especiais: um aniversário de casamento, dia de festa ou em datas esporádicas. Porém existem algumas formas de voltar a esquentar e apimentar seu relacionamento de novo.

Existem algumas formas de

  • Como identificar que o sexo caiu na rotina
  • Relembrando o início da relação
  • Dicas de como apimentar o relacionamento

Como identificar que o sexo caiu na rotina

Claro que é normal que após muito tempo vocês já não tenham a mesma relação de antes. É necessário que você consiga identificar quando seu relacionamento cair na rotina. Se pergunte se:

  • Quando foi a última vez que vocês fizeram sexo em um momento que nenhum de vocês dois esperava?
  • Você pensa no seu parceiro quando vocês estão longe um do outro? Quais desses pensamentos envolvem desejo?
  • Vocês costumam testar novas posições? Tem relações sexuais em locais diferentes?
  • Vocês usam algum acessório ou tiveram uma nova sensação juntos?
  • Você compra e usa lingeries especiais ou faz algo diferente quando vocês estão na cama?
  • Vocês falam sobre sexo por mensagens ou se provocam quando estão longe um do outro?

Após se questionar e responder todas essas questões, seu termômetro do relacionamento já deve ter te mostrado algo, certo? E aí, vocês estão pegando fogo ou estão em pleno inverno? Você deve se recordar que todas as perguntas que fiz aqui são relacionadas a rotina do seu relacionamento no dia a dia. Quebrar a rotina é um dos pontos principais para manter acesa a chama entre você e seu parceiro. Se informe de qual maca peruana comprar.

Relembrando o início da relação

É importante sempre relembrar o começo da relação. Ela precisa sempre estar viva em seus pensamentos para que você consiga identificar possíveis problemas. Você já se questionou sobre o que mudou entre vocês? Como a sua vida sexual caiu na rotina? Porque era melhor antes de vocês casarem?

Já afirmo que esse é um exercício que vale muito a pena! Coloque no papel tudo que te faz falta no seu relacionamento atual quando o assunto é transa! Faça com cuidado, você precisa que isso seja uma reflexão do seu relacionamento sexual. Você terá indicações para poder novamente apimentar seu relacionamento, tudo isso pode te ajudar a retomar o relacionamento de vocês.

Relembre e anote como foi a primeira vez de vocês na cama, o que te fazia sentir tesão e sentir aquele frio na espinha. Qual foi o melhor momento de vocês dois quando o assunto é sexo? Tudo isso é muito importante para que vocês consigam reconstruir o que tinham juntos no começo. Isso deve despertar suas memórias boas do passado!

Dicas de como apimentar o relacionamento

A melhor parte dessa postagem é agora! Existem algumas práticas muito simples de como apimentar seu relacionamento sexual. Agora você precisa pensar: qual sua parte de culpa no esfriamento da relação de vocês? O que você fazia que deixou de fazer? O que você poderia fazer para esquentar mais o clima entre vocês dois.

Surpreenda

Se o seu relacionamento caiu na rotina não há nada melhor do que fugir dela para que ele esquente novamente. Existem muitas coisas que vocês podem fazer juntos: sair para dançar e depois dar aquela esticada sensual, provocações durante o horário de expediente, comprar lingeries novas com cores sexys, use a imaginação e resgate aquilo que tinha lá no início.

Converse com seu parceiro

Essa é a melhor técnica para manter um relacionamento saudável em todos os aspectos. Se você já notou que a atração entre vocês mudou, ele com certeza já percebeu isso também. Porque vocês não conversam abertamente sobre o assunto sexo como falam de outras coisas? Se vocês forem companheiros e cúmplices todos os problemas podem ser solucionados com mais facilidade.

Inove na cama

É claro que você não vai conseguir mudar as coisas de uma vez! Vá mudando aos poucos! Pare de fazer tudo igual. Existem muitas posições para experimentar junto com seu parceiro. Além disso existem vários sex shops que podem te ajudar a escolher acessórios que irão aumentar o fogo entre vocês dois. Abra sua mente, conheça as novidades e não tenha medo ou receio de usá-las, provavelmente vocês já tem muita intimidade para isso.

É muito importante que você se lembre que sua autoestima é o primeiro passo para que você tenha um relacionamento saudável. Se você estiver bem consigo mesma não terá problemas de ciúmes ou insegurança. Se você se posicionar como uma mulher que tem desejos e vontades nada poderá te atrapalhar na cama. Se valorize e deixe seus receios e medos para trás. Você será muito mais feliz!

Como uma empresa registra o CNPJ

A sigla CNPJ é muito conhecida e utilizada no setor empresarial.

CNPJ são as iniciais de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. Realizado em conjunto com a Receita Federal, é constado no cadastro dados como Razão Social, também conhecido Nome Comercial, ou seja, o nome da empresa, além de data de abertura e outros dados relacionados à firma.

O CNPJ é o como se fosse o CPF da empresa, ou seja, sem esse cadastro é como se ela não existisse para o governo brasileiro.

Desse modo, não tem importância o tamanho da empresa, se pequena ou grande, ou nem o tipo de negócio. É fundamental que ela tenha o cadastro.

O registro da empresa possibilita ao empresário algumas atividades de negócios como:

  • O contrato de fornecedores
  • Emissão de notas fiscais
  • Abertura de conta corrente jurídica (conta de banco no nome da empresa)
  • Solicitação de empréstimos ou financiamento
  • Contratar ou ser contratada
  • Contratar funcionários de acordo com as leis trabalhistas vigente
  • Efetuar pagamentos de impostos e fazer as devidas declarações
  • Proporciona possibilidade de crescimento da empresa.

Tudo isso é realizado de forma legal e de acordo com o governo e a Receita Federal. Com esse registro concluído, é possível saber como descobrir cnpj de uma empresa, além de outras consultas relacionadas ao negócio.

Mas como é possível fazer o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica?

Abrir um negócio não é tarefa fácil. Demanda organização, estrutura e cuidados. A parte burocrática também é um fator que as pessoas consideram ao pensar em abrir um negócio, mas com o advento da internet as coisas mudaram e hoje registrar o CNPJ ficou mais fácil.

Todo o processo pode ser realizado online pelo site da Receita Federal. Mas mesmo assim há alguns passos que devem ser seguidos:

Qual o formato da sua empresa?

cnpj-nome-empresa

Se você não tem participação em nenhuma empresa e no seu planejamento constar um faturamento de até R$ 60 mil reais por ano, você é considerado MEI – Microempreendedor Individual. Nesse caso, o registro do CNPJ será realizada mais facilmente.

Caso esse não seja seu caso, é necessário saber quais os outros formatos de empresas para escolher a que mais se encaixa no seu perfil, pois existem:

  • Sociedade Limitada
  • Sociedade anônima
  • Sociedade em comandita simples
  • Sociedade em Comanditas em Ações

Entre outros tipos.

Após a definição do seu tipo de empresa, deve-se separar a documentação para efetuar o cadastro.

Os documentos necessários são:

  • CPF (Cadastro de Pessoa Física)
  • Carteira de Identidade
  • Comprovante de residência
  • Endereço de onde a empresa irá funcionar
  • Contrato social – que deve ser elaborado por um advogado e registrado em cartório.

Com os documentos em mãos você pode acessar o site https://www38.receita.fazenda.gov.br/redesim/ e clicar em “preencher nova solicitação”.

  • Responda todas as lacunas
  • Após o preenchimento, clique em “finalizar preenchimento”.
  • Os dados serão enviados a Receita Federal que irá analisá-los.
  • Será gerado um recibo.
  • Imprima e guarde o recibo, pois nele contem uma senha que você utilizará para acompanhar seu processo.

Caso haja algum problema com a verificação automática de documentos pela Receita Federal, você será informado.

Ocorrido tudo bem, basta imprimir toda a documentação que foi preenchida e que recebe o nome de Documento de Entrada no CNPJ.

Com todos esses papeis em mãos, basta ir a algum cartório reconhecer firma e enviar por correio ou ir pessoalmente a uma unidade cadastradora.

Não há limite de prazo para concluir o processo de registro do CNPJ, mas leva-se no mínimo 5 dias para você receber seu registro, por isso, deve-se ficar atento e acompanhar o pedido pelo site.

Pensar positivo afeta a estrutura do seu cérebro

Já ouviu falar que a sua mente pode mover montanhas? Ou que você poderia se tornar um ímã e atrair tudo que desejasse apenas com o poder do pensamento? Antes de continuar, eu quero que você se imagine caminhando numa praia deserta. O pôr do sol tranquilo refletindo na água quente e transparente só é atrapalhado pelo barulho das ondas e do vento nas folhas de palmeiras. Deu uma relaxada só de imaginar essa cena?  Ótimo! Porque o assunto de hoje é “pensamento positivo”.

De físicos a líderes religiosos, passando por médicas e gurus da autoajuda, muitos afirmam: positividade faz bem, e muito! Mas será que pensar positivo realmente faz bem? Antes de responder essas perguntas, precisamos saber um pouco sobre como nossa mente funciona.

Segundo o pesquisador Frederico Azevedo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em artigo publicado no The Journal of Comparative Neurology, em 2009, o cérebro humano é composto por mais ou menos 86 bilhões de neurônios e cada um é ligado por mais de mil conexões sinápticas!

Maaas… conexão sináptica, o que isso quer dizer exatamente? Vamos usar um pouquinho de Fisiologia Básica pra te explicar melhor:

Neurônios são células responsáveis por transmitir impulsos nervosos, que são sinais enviados de um neurônio para outro ou para outras células do nosso corpo. Os neurônios têm a capacidade de estabelecer conexões quando recebem estes sinais, seja por estímulos do próprio organismo ou do ambiente externo. Alguns desses sinais são elétricos, mas pode ficar tranquilo! Seu cérebro não vai entrar em curto circuito!

A comunicação entre neurônios ou entre neurônios e outras células acontece nas sinapses, em um espaço chamado fenda sináptica. Para transmitir informações, os neurônios lançam substâncias químicas chamadas neurotransmissores que atravessam essa fenda e tem a capacidade de produzir reações no nosso corpo.

Tá… Mas onde que o pensamento positivo entra no meio dessa história? Sem que possamos prever ou controlar, quando recebemos algum tipo de sinal – que pode ser disparado através do pensamento – o nosso corpo produz respostas hormonais relacionadas, por exemplo, às sensações de bem-estar ou de estresse!

img_3322-1

Pensar negativo faz mal

Então quer dizer que pensar negativamente faz mal? Depende! Nas situações em que identificamos um risco ou uma ameaça, um tipo específico de mecanismo entra em ação, chamado sistema nervoso simpático, estimulando as glândulas suprarrenais que agem na secreção dos hormônios adrenalina, noradrenalina e dopamina.

Chamamos esse mecanismo de “Reação de Fuga ou Luta”, e ele está relacionado com nossos instintos de proteção. Quando os níveis desses hormônios aumentam, entramos em estado de alerta! O coração bate mais depressa, a respiração se torna mais rápida e a pressão arterial aumenta!

Em momentos estressantes do cotidiano, como dirigir em um trânsito congestionado, fazer uma prova ou participar de uma competição esportiva, o estado de alerta é muito importante! O pessimismo neste caso estaria relacionado com o medo do fracasso ou com a antecipação de situações arriscadas, nos deixando mais preparados para enfrentar estas situações!

O problema é quando estamos nos estressando o tempo todo! Segundo a Associação Americana de Psicologia,
quando isso acontece, o córtex das glândulas suprarrenais dispara a produção do hormônio cortisol, que em situações de estresse prolongado, pode desencadear processos que acabam contribuindo para a diminuição da
ação do sistema imunológico e então podemos ficar mais propensos a adoecer.

Níveis muito altos de cortisol afetam também a parte do cérebro responsável pela memória e pelo aprendizado, nos deixando irritados e esquecidos! Uma outra explicação científica sobre o quanto o pessimismo e as emoções negativas podem fazer mal é defendida pelo cientista da computação Steven Parton.

Ele sugere que a negatividade e o hábito de reclamar alteram fisicamente a estrutura do cérebro, nos ajudando a entender por que algumas pessoas parecem não conseguir sair de um estado negativo. Imagine quatro pessoas, divididas em duplas, jogando bolas umas para as outras. Uma dupla está a 10m uma da outra e a outra dupla está a 100m uma da outra.

Da mesma forma funcionam os nossos pensamentos. Quando pensamos, as sinapses se aproximam para diminuir a distância que o impulso elétrico precisa percorrer. Desta forma, o cérebro teria a capacidade criar conexões com base em tudo a que é exposto muitas vezes, alterando a sua forma física para facilitar a transmissão do pensamento.  Então se temos um pensamento recorrente, fica mais fácil e mais provável que ele aconteça novamente.

Funciona como se a dupla que pegou a bola primeiro pudesse dar um passo a frente na próxima rodada, fazendo com que a chance de pegarem a bola primeiro outra vez seja ainda maior! A boa notícia é que também funciona com os pensamentos positivos!

Médicos dos departamentos de psiquiatria e cardiologia da Harvard Medical School, apontam que o estado de ânimo pode influenciar o nosso organismo de várias formas. Um destes estudos de janeiro de 2016, publicado pela Associação Americana do Coração buscou averiguar a correlação entre o senso de otimismo, o senso de gratidão e o nível de novas internações hospitalares em 164 pacientes com quadro clínico de Síndrome Coronariana Aguda que passaram por internação anterior.

Através de testes, da Escala de Atividade Física e entrevistas de avaliação, o estudo apontou que os pacientes que sinalizaram maior otimismo apresentaram maior índice de prática de atividade física e menores taxas de hospitalização durante os seis meses seguintes ao estudo, se comparados aos pacientes com maior senso de gratidão.

Por que essa diferença? Os autores acreditam que o sentimento de gratidão é centrado no passado e pode ter menos efeito sobre o comportamento futuro que o senso de otimismo. Por outro lado, o otimismo poderia ​​ser uma ação mais centrada em fatores cognitivos e na sensação de que se pode fazer algo para alcançar uma meta, possibilitando atitudes positivas no comportamento e no compromisso com a própria saúde.

Ou seja: pessoas com disposição para ver o lado positivo da vida tendem a cuidar mais da saúde, praticar exercícios e se alimentar melhor.

Afinal de contas, pensar positivo funciona? Sim, existe poder no pensamento positivo! Você não vai jogar bola como a Marta nem quebrar recordes como o Usain Bolt só pensando positivamente. Mas emoções positivas estão associadas com a melhora na saúde e com as sensações de vitalidade e bem-estar! Por outro lado, a raiva crônica, a preocupação excessiva e a hostilidade são fatores de risco para o desenvolvimento de doenças.

No entanto, essa positividade é mais natural para algumas pessoas, enquanto outras precisam aprender a pensar e agir de modo mais otimista.

 

Então como podemos desenvolver essa forma de pensar?

Segundo o departamento de psicologia da Universidade de Harvard, a psicologia positiva indica várias rotas para a felicidade:

Sentir-se bem: Buscando emoções prazerosas e sensações.
Engajar-se totalmente: Com os objetivos e com atividades que envolvem você plenamente.
Fazer o bem: Buscar na sua vida um significado fora de si próprio, desenvolvendo a sua empatia.
Expressar gratidão: Expressando apreço por aquilo que você tem em sua vida.
Apreciar cada experiência: Focando a atenção no prazer, em como ele ocorre, compartilhando e apreciando cada experiência de modo consciente.
Ser consciente: Centrando a sua atenção sobre o que está acontecendo no momento e trabalhando a aceitação sem julgamentos.
Ter auto-compaixão: Buscando consolo quando necessário, dedicando tempo para cuidar de si mesmo, para motivar-se e para tentar novamente.